quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Entenda porque a União Soviética ganhou dos EUA na corrida espacial

No fim, as conquistas soviéticas foram mais mais significativas que uma caminhada pelo solo lunar!

Embora um dos marcos mais lembrados da Era Espacial tenha sido a chegada do homem à Lua a bordo da Apollo 11, isso não significa necessariamente que os EUA tenham sido vitoriosos na chamada “corrida espacial”. Muitos foram os eventos significativos que determinaram a supremacia russa em matéria de exploração espacial, além das várias contribuições internacionais. 


Tudo começou na Segunda Guerra Mundial, quando o lançamento da bomba atômica americana fez com que os russos quisessem desenvolver uma tecnologia que os colocasse em vantagem sobre os EUA. O resultado foi uma bomba tão pesada que precisou de um foguete mais poderoso para transportá-la. O projeto foi encomendado ao engenheiro Sergei Pavlovich Korolev, que concebeu o R-7 Semyorka: um foguete nove vezes mais potente que qualquer outro, mas pouco eficaz como míssil, e que por isso acabou sendo utilizado exclusivamente para a exploração espacial. 

Em pouco tempo, a URSS colocava em órbita o primeiro satélite simples, o Sputnik. E, no mesmo ano, 1957, lançava o primeiro satélite tripulado por um ser vivo: a cadela Laika. Somou-se a esses dois grandes sucessos propagandísticos o lançamento da primeira cápsula tripulada por um ser humano na história. A Vostok deu uma volta no planeta em 1 hora e 48 minutos. Em 1963, a URSS também foi responsável pelo voo orbital mais longo (5 dias) até a presente data; enviou a primeira mulher ao espaço (Valentina Tereshkova); e, em 1965, Alexei Leonov foi o primeiro ser humano a fazer uma "caminhada" espacial. 

Após a chegada dos americanos à Lua, em 1969, com o Apollo 11, os russos voltaram seu objetivo para a construção de estações espaciais, lançando, em 1971, a primeira estação espacial temporária da história, chamada Salyut. Em 1986, enquanto os EUA realizavam voos curtos, com ônibus espaciais, os soviéticos colocaram em órbita a primeira estação permanente, a MIR, um laboratório gigante suspenso no espaço. 

Em 1991, a dissolução da União Soviética colocou em perigo a existência da MIR, e os EUA, com medo que seus engenheiros espaciais acabassem no Irã ou na Coreia do Norte, ofereceram à Rússia que se tornasse sua sócia na exploração do Universo, após três décadas de rivalidade. Foi assim que os americanos chegaram à MIR, e, depois, outros países aderiram. 

Quando a MIR se desfez, ao retornar à Terra, em 2001,  foi substituída pela Estação Espacial Internacional (EEI), montada em órbita e que se mostrou quatro vezes maior que a estação russa. A EEI é um verdadeiro legado das conquistas do programa espacial desenvolvido pela URSS durante mais de 50 anos de exploração do Universo.

Fonte: BBC

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Como os soviéticos do século passado imaginavam o centenário da Revolução Russa

Em 1960, um relato chamado “Em 2017”, escrito por V. Strukova e V. Schevchenko e ilustrado por Schevchenko, projetava o futuro da antiga União Soviética no centenário da Revolução de Outubro.

Veja abaixo algumas imagens de um futuro que nunca chegou:

CIDADE SUBTERRÂNEA 
Em uma aula de geografia, os alunos assistem às imagens de Uglegrad, uma cidade subterrânea. A turma visitará o local no dia seguinte.



VIAGENS ESPACIAIS 
O comunismo do futuro teria conseguido desenvolver naves espaciais de última geração, com a capacidade de visitar sistemas planetários vizinhos graças à tecnologia “fotônica”.


DESPERTADOR 
Um relógio, especialmente projetado para garantir a eficácia do seu trabalho, acorda Igor, protagonista da história.


COZINHA AUTOMÁTICA 
Uma cozinha automática lê a receita da mãe de Igor e mescla os ingredientes necessários para a alimentação correta do jovem soviético.


UGLEGRAD 
Igor e sua turma visitam a proeza arquitetônica de Uglegrad, a cidade subterrânea. Lá, sempre é primavera, graças à luz e ao calor gerados por uma estrela de cristal.


PERFURADORA 
A construção de Uglegrad e outras cidades similares só foi possível graças a essas máquinas robóticas, capazes de perfurar quilômetros de terra com seu aço resistente ao calor.


UGLEGRAD 
Enquanto Igor e seus companheiros visitam Uglegrad, o centro meteorológico de Moscou recebe notícias sobre a destruição das ilhas do Pacífico, nas quais viviam os últimos imperialistas do planeta, em decorrência de testes nucleares. A explosão causa distúrbios graves na atmosfera terrestre.


A AMEAÇA IMPERIALISTA 
Tornados atômicos gigantes, provocados pelos testes nucleares dos últimos imperialistas, aproximam-se de Moscou.


A SALVAÇÃO 
Os soviéticos do futuro possuem estações meteorológicas voadoras, capazes de neutralizar o caos atmosférico e salvar a vida do planeta. 


Fonte: BBC
Imagem: Sergey Pozdnyakov (arquivo pessoal)

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

5 locais que podem ser portais para mundos paralelos

Várias culturas da antiguidade acreditavam que havia portais secretos na Terra, através dos quais era possível se comunicar com os deuses criadores.

Abaixo, segue uma lista de cinco sítios arqueológicos que foram considerados portais intergalácticos:


Porta do Sol, Bolívia: Essa antiga porta da civilização pré-incaica remonta há 14 mil anos. Foi construída no local onde, segundo os tiauanacos, o deus do Sol, Viracocha, criou a vida. Esculpida em pedra, seus relevos mostram figuras humanas com capacetes.


Vórtices de Sedona, EUA: As impressionantes formações de areia vermelha localizadas da periferia da cidade de Sedona, no estado do Arizona, nos EUA, eram consideradas portais interdimensionais pelos nativos da região.


Stonehenge, Inglaterra: O gigante monumento de pedra do período neolítico, construído há 25 mil anos, foi considerado pelos habitantes da região um local energético de contato com outras civilizações. Rodeada de lendas, sua construção continua sendo um mistério.


Porta de Hayu Marca, Peru: A lenda diz que a maior dessas duas portas milenares, localizadas nas proximidades do lago Titicaca, se abrirá um dia, permitindo a entrada dos deuses criadores na Terra. 


Abidos, Egito: Alguns estudiosos do esoterismo afirmam que a antiga cidade foi construída sobre um portal energético que comunica o planeta com civilizações extraterrestres. 


Fonte: SuperCurioso
Imagens: Shutterstock.com